5 dicas infalíveis para casas pequenas

Casas e apartamentos pequenos e como organizar é um dos meus temas favoritos. Fiquei super feliz quando me sugeriram este assunto no Instagram. Quando vou ao Ikea, podia ficar horas a olhar para as soluções de organização que eles têm, assim como os espaços decorados a imitar apartamentos de 45 m2. Acho que é uma arte, imaginar e criar funcionalidade em espaços tão reduzidos.

A primeira casa que comprei tinha 140 m2. Era um apartamento excelente, e ainda tinha uma garagem para 3 carros. Espaço não faltava. Mas mudei-me há um ano atrás para uma casa com menos de metade do tamanho. E sabia que teria de ser mais pequena porque quanto mais próxima de Lisboa, mais cara seria. Ao contrário do que toda a gente me disse, uma casa pequena não é uma prisão.

Tive de aprender a viver no espaço que dispunha e sinceramente, a organização e funcionalidade da casa ajuda MUITO. Viver com tralha numa casa pequena é 100 vezes pior que numa casa grande. Porque hoje não tenho um quarto da desarrumação, não existe espaço para espalhar “coisas”. Significa que tudo tem de ter um sítio, nada pode ficar ao acaso. E noto isso muito mais agora do que na outra casa, em que tinha 4 roupeiros e uma cozinha com 25 m2 e uma despensa. O primeiro grande desafio foi: como colocar todas as coisas que tinha na outra casa, nesta? A resposta é não coloquei! Tive de priorizar e escolher o que realmente me fazia falta. Adotei o conceito minimalista ao máximo.

Primeira dica: DESTRALHA, DESTRALHA, DESTRALHA

Destralha tudo o que puderes e nunca dês o trabalho por terminado. Quando falo aqui no Organiza-te que devemos tirar 10 minutos todos os dias para passar por todas as divisões e rever coisas fora do lugar, é mesmo verdade. Se deixamos acumular tralha e coisas, numa casa mais pequena rapidamente começamos a sentir que tudo está desarrumado.

Segunda dica: TUDO TEM UM SÍTIO E UMA FUNÇÃO

Tudo tem que ter um sitio. Se não tens espaço para o número de coisas que possuis, tens de escolher o que faz mais falta. É imprescindível comprar de uma forma muito reflectida e intencional. Quando penso em comprar alguma coisa cá para casa penso: existe “isto” em formato mais pequeno, faz-me realmente falta, não posso substituir a função do que quero comprar com algo que já tenha, e que possa dar a alguém? É muito mais fácil, se quero comprar um novo robot de cozinha, vender ou dar o anterior. Não fico com dois porque sinceramente, não tenho espaço para isso. Quando penso em comprar uma máquina de café, compro a mais pequena do mercado, dentro da qualidade que procuro. O pensamento é sempre minimizar, em número, tamanho e função.

Terceira dica: A COZINHA É A PRIMEIRA A ORGANIZAR

Olha para a tua cozinha com olho clínico. Tenho uma cozinha muito pequena mas que tem arrumação com armários que vão do chão ao tecto. São despenseiros. Organizei todo o conteúdo da cozinha em cestos, para ser mais fácil separar e perceber o que tenho e o que não tenho, assim que abro as portas. Parece quase uma gestão de stocks. Não compro nada a mais do que preciso, em termos de alimentação. E quando quero comprar produtos que tenham validade grande e estão em promoção, montámos na garagem, uma prateleira enorme que é o armazenamento de tudo o que não precisamos no imediato na cozinha. Tenho detergentes, azeite, enlatados, papel higiénico, rolos de cozinha, etc. A ideia é retirar todas as embalagens grandes de casa, sem deixar de aproveitar promoções. Quando comprei a casa mais pequena, procurei sempre uma que tivesse ou garagem ou arrecadação, já a prever esta situação.

5 dicas infalíveis para casas pequenas

5 dicas infalíveis para casas pequenas

Quarta dica: A ROUPA É A SEGUNDA PRIORIDADE

Não acumules roupa. Tem um sitio próprio para teres a roupa que despiste quando chegaste a casa, a roupa que vais vestir amanhã, o teu pijama, etc. Não deixes acumular roupa para lavar ou passar. Se tratares da roupa todas as semanas, não precisas de tanto espaço onde a colocar, e não entras em casa com uma pilha de roupa por passar que nos deixa logo em transe. Como não tens muito espaço no roupeiro para a armazenar, quanto mais deixares acumular, mais vai ter de a espalhar. Isso numa casa pequena é a morte do artista.

Quinta dica: COISAS CERTAS EM NÚMERO CERTO

Tem o número de copos, pratos, talheres que efetivamente precisas e não o serviço completo que usas uma ou duas vezes quando tens amigos ou familiares a almoçar ou jantar. As coisas que precisas apenas uma vez ao ano, não podem estar no local que usas todos os dias. Se são recursos esporádicos, não precisas de os ter à vista todos os dias. No armário dos tupperwares tenho uma caixa arrumada com talheres lá dentro (que só uso quando estão mais pessoas em casa), e tenho pratos em caixas na arrecadação. E pensa, se tiveres uma casa pequena, há um número limitado de pessoas que consegues convidar para jantar. Será que precisas de tantos talheres, copos e pratos assim? Faz as contas e vais ver o espaço da cozinha aumentar. O mesmo principio se aplica com produtos de higiene, cremes, número de toalhas e lençóis. Os brinquedos das crianças é todo um outro artigo no Organiza-te. Ficará para depois, mas o método é, compreender o que é importante, armazenar em caixas, baús ou gavetas em que seja fácil colocá-los lá dentro. Agora lembra-te, se tens brinquedos de 18 meses no quarto e o teu filho já tem 5 anos, está na altura de fazer uma escolha e doares a quem mais precisa. Faz esta escolha com ele.

Na hora de comprar, pensa primeiro antes de fazeres a compra. Costumo dizer isto muitas vezes quando eu e o meu marido estamos nalguma loja a pensar comprar algo cá para casa (decoração, electrodomésticos, tapetes, almofadas): “deixa-me amadurecer a ideia e depois decidimos”. Nunca compramos por impulso. Porque sabemos que podemos ficar muito frustrados quando chegamos a casa e afinal não fica tão bem quanto estávamos a imaginar (na loja é sempre tudo lindo), ou encontramos coisas que já tínhamos e que fazem o mesmo efeito, ou tiramos medidas e percebermos que o espaço não chega como afinal pensávamos.

Tudo tem de ser mais planeado e pensado. Porque não existe espaço de sobra, muito pelo contrário, existe sim um objetivo enorme de não acumular coisas, e não deixarmos de ter espaço para respirar. Quando falo que a casa tem de ser um espaço de calma,é porque tem de ter leveza. Não pode ter armários de cima a baixo, nem coisas amontoadas. Tem de ser fluída. E isso numa casa pequena, é um trabalho infinito de vontade de comprar versus com uma tremenda falta de espaço.

Aqui reina o bom senso. Espero ter ajudado. Partilha as tuas dicas aqui se tens uma casa pequena, e podes ajudar outras pessoas que precisem de motivação para começar a organizar os seus espaços.

 

Ana Dias