Será que precisas de mais objetivos?

Quando pesquiso em sites, blogues ou livros sobre organização pessoal e produtividade, os principais títulos que encontro são: como construir objetivos, como traçar objetivos mensuráveis e realistas, prepare os seus objetivos para o novo ano. 

Eu adoro este tema e vou falar muito sobre ele aqui no Organiza-te. Mas também sou uma pessoa que gosto do equilíbrio.

E se eu já tiver objetivos que cheguem? Se já me sinto completamente exacerbada de trabalho e de tarefas, porque haveria de construir mais? Ás vezes parece que não precisamos acrescentar nada à nossa vida, mas sim tirar. 

Acho contraproducente. Quando as pessoas me procuram para as ajudar na organização pessoal, gosto de optar por uma versão mais minimalista. Primeiro peço para escreverem tudo que têm para fazer. O segredo está numa boa recolha (método GTD). 

Depois quando compreendes bem tudo o que está a "pairar" na tua mente à meses e que ainda não fizeste, compreendes quais são as áreas prioritárias. E assim tens os teus objetivos de "sempre" mais alinhados contigo, sem precisar de criar outros.

Será que precisas de mais objetivos?

Será que precisas de mais objetivos?

 Porque na verdade, todos nós sabemos o que nos faz bem. 

Imagina que tua prioridade é melhorar a saúde, ter melhor bem-estar físico. Todos nós sabemos o que temos de fazer certo? Uma alimentação saudável, hidratação e exercício moderado 2 a 3 vezes por dia. Salvo exceções de doenças crónicas ou limitações motoras, não há grandes segredos. 

Isto não é um objetivo novo para ti. É apenas compreender quais são os prioritários e aqueles que queres mesmo cumprir mais rapidamente ou de forma mais eficaz. E a seguir é executar. Não deixares para amanhã. Motivares-te para cumprir. Reduzir este grande objetivo em pequenas tarefas diárias como: beber 5 copos de água por dia, fazer uma caminhada depois do trabalho 2 vezes por semana, comer vegetais à refeição pelo menos 4 vezes por semana. Traçar pequenas tarefas que facilmente incluis nas suas rotinas, que não te causam mais peso nos teus dias e daqui a uns meses, vais sentir-te mais em forma. 

 Compreendeste o sistema?

  1. Recolher todas as ideias, tarefas, projetos, intuições, experiências, tudo o que "incomodar" na tua cabeça, que achas que não fizeste e devias ter feito. Ás vezes quando se passa tudo para o papel, percebemos que já fizemos muito mais do que imaginamos. 

  2. Escolher as áreas prioritárias para ti, aquelas que fazem mais sentido trabalhar

  3. Compreender o porquê de as cumprir, porque é importante para ti. Se perceberes a importância será mais fácil executares

  4. Dividir grandes projetos em pequenas tarefas diárias. Assim se dá a criação de hábitos ou a execução de grandes projetos que não achavas possível. 

 

Vês a magia?

Eu sinto que temos sempre grandes coisas dentro de nós, e entristece-me pensar que o ritmo dos dias não nos deixa expressar todas aquelas criativas que temos. E não precisa de ser formar uma grande empresa. Pode ser apenas uma ideia fantástica que tivemos para um trabalho de ciências do nosso filho. Pode ser uma ideia de decoração para a tua casa que nunca executaste. Pode ser organizar a semana para ir passar um fim de semana fora com o marido para namorarem. 

 

O mundo em si nunca está sobrecarregado ou confuso, mas nós sim, de acordo com o modo como nele estamos envolvidos. 

 David Allen - GTD

Talvez não precises mesmo de novos objetivos. Precisas de novas formas de cumprir aqueles que já estão dentro de ti há imenso tempo. E depois de os conseguires cumprir e sentires aquela sensação fantástica de dever cumprido, construas outros, até mais ambiciosos porque afinal, agora acreditas mais em ti.