Criação de hábitos ou autodisciplina

Hoje em dia, todos falam de criação de hábitos saudáveis. Passou a ser uma “frase feita” e, a mensagem é que se, não criamos estes hábitos, não estamos a cuidar de nós. Não estamos a percorrer o caminho para uma vida com saúde e qualidade.

hábito

tendência ou comportamento, geralmente inconsciente, que resulta da repetição frequente de certos atos; rotina; automatismo

uso; costume; tradição

Se acompanhas o Organiza-te, sabes que sou totalmente a favor de pequenas lutas todos os dias, porque tornam-se grandes projetos concretizados. Criar hábitos alinhados com aquilo que imaginamos para nós é essencial. E como diz a definição, é uma tendência ou comportamento, inconsciente, ou um automatismo. Comportamentos que fazemos quase sem pensar.

O livro O Poder do Hábito fala sobre a forma como podemos introduzir hábitos nas nossas vidas, através de um sistema próprio: procurar o trigger, perceber o comportamento e qual a recompensa.

Exemplo:

  • O teu filho fez uma birra enorme antes de dormir e estás exausta (trigger)

  • Comes bolachas com pepitas de chocolate (o comportamento)

  • Sentes mais conforto e menos tristeza (a recompensa).

O circuito é sempre este. Como é que podemos jogar a nosso favor? Compreender qual é o comportamento que queremos mudar, perceber qual o trigger, ou seja, qual o evento que despoleta a vontade do comportamento e como nos sentimos quando temos a recompensa.

Quando deciframos estas três variáveis, podemos modifica-las.

Exemplo:

  • O teu filho fez uma birra enorme antes de dormir e estás exausta (trigger)

  • Agarras no telemóvel, procuras uma app de meditação e meditas por 10 minutos (comportamento)

  • Sentes mais conforto e menos ansiedade (recompensa).

Vês a diferença? Mantém-se as variáveis, mas engordas menos. Se o comportamento for gerado apenas uma vez por outra, não tem mal nenhum comer uma bolacha de chocolate. Mas se comeres o pacote todo, tu própria vais perceber que se calhar precisas de mudar alguma coisa. Para o autor do livro, a regra de outro sobre a criação de hábitos é:

Não consegues extinguir um mau hábito, só consegues modificá-lo.

Ou seja, é possível a pessoa auto educar-se para melhorar o seu estilo de vida. A alimentação, o exercício, hidratação, deixar de fumar, ligar aos pais todos os dias, tudo que possa ser considerado um hábito.

Mas todos nos esquecemos da palavra DISCIPLINA. Sinceramente, muitos dos hábitos que tento incluir na minha vida são contrários à minha natureza. Exemplos: eu adoro estar deitada no sofá, eu adoro procrastinar, eu ODEIO exercício físico e eu ADORO batatas fritas. Claro que faço caminhadas, claro que me alimento bem, claro que consigo ser produtiva e focada, quando necessário. Mas isso é com muita autodisciplina. MUITA MESMO! (e que atire a primeira pedra quem não come uma batata frita de vez em quando).

Criação de hábitos ou autodisciplina

Criação de hábitos ou autodisciplina

disciplina

conjunto de regras ou ordens que regem o comportamento de uma pessoa ou coletividade

observância das regras; obediência

capacidade de controlar um determinado comportamento de forma a respeitar regras ou conseguir resultados

Porquê esta distinção?

Quando lemos artigos em blogues, livros, vemos programas de televisão ou ouvimos podcasts que nos dizem que devemos ter uma rotina da manhã, uma rotina da noite, acordar uma hora mais cedo, planear o dia, temos de compreender que nada disto é feito SEM esforço. Quando vos escrevo sobre a importância da organização, do planeamento, das ferramentas para nos mantermos focados, nada destes conselhos que escrevo são milagrosos se não fizerem um esforço. Organizar a nossa vida, nos dias de hoje, é DIFÍCIL. E é por isso que cada vez mais pessoas procuram estes temas e tentam várias estratégias até encontrarem uma que seja DURADOURA.

Claro que requer muito trabalho. E é por isso que é tão difícil criar hábitos que não se quebrem à mais pequena contrariedade. Porque dão muito trabalho e requerem muita autodisciplina da nossa parte.

Porque é que é tão difícil recusar um chocolate quando estamos exaustos? Mais difícil do que quando estamos mais descansados? Temos mais força de vontade de cumprir o nosso propósito. É só isso.

A disciplina, apesar de parecer uma palavra mais negativa do que positiva, é a chave para melhorar a tua vida. Claro que pensamos: já trabalho tanto, já tenho tantas regras para cumprir, porquê criar mais tensão e mais regras na minha vida?

Estou totalmente de acordo, excepto numa coisa: ser disciplinada por algo que se quer muito, é diferente de ser disciplinada para os objetivos que outras pessoas te impõem. Se decidiste que queres uma alimentação saudável qual é o foco: viveres mais anos, ter mais energia para despender com a família, porque tens um problema de saúde e queres melhorar a tua qualidade de vida? Tens de perceber qual é o propósito.

Um mito muito associado à criação de um hábito é que, um comportamento para se tornar um hábito, tem de ser feito durante 21 dias, consecutivamente e sem falhas. Esta informação tem origem num trabalho de um médico cirurgião, Maxwell Maltz, que escreveu um livro em 1960 que se chama Psycho-Cybernetic. Ele começou a compreender um padrão nos doentes que operava, pois começavam a aceitar melhor as sequelas ou incapacidades, 21 dias após a cirurgia. E começou a observar os seus próprios comportamentos e, ele próprio levava 21 dias a criar um novo hábito. Claro que isto tem uma base científica e faz todo o sentido. E porque é que foi tão bem aceite? Porque deu um prazo às pessoas, tornou-se simples de perceber e de experimentar.

No entanto, já saíram estudos recentes a demonstrar que, em algumas situações, novos padrões de comportamento podem demorar 2 a 8 meses, dependendo do tipo de hábito e da pessoa em si. Se tentaste ter uma alimentação mais saudável ou ires ao ginásio duas vezes por semana, e ao fim dum mês, não conseguistes, não desistas. Pensa duas vezes e persiste mais um pouco. Não há nada de errado contigo. Os prazos não são iguais para todos.

Mais importante que o tempo, a disciplina tem que ter um propósito porque senão, nunca se irá tornar um hábito, em que quase nem pensas e já é automático. O Brendon Burchard, coaching e autor dos 6 Hábitos de Alta Performance, considera que existem hábitos que nunca se formam de verdade, principalmente aqueles que são mais contrários à nossa natureza. E que a solução será escrevermos, termos check lists, alarmes no telemóvel a relembrar a importância destes momentos para nós.

Não é ao acaso que existem aplicações para beber copos de água ao longo do dia. Mas na verdade, só lhes vamos dar atenção se compreendermos porque é importante hidratar-nos, e quais são os malefícios para a nossa saúde, se não o fizermos. A aplicação não é suficiente. É preciso DISCIPLINA. E muito trabalho de auto motivação também.

Espero que este texto te ajude a motivar mais naqueles hábitos que são mais difíceis de implementar na tua rotina. Partilha nos comentários quais são, como os tens vencido e como gostarias que o Organiza-te, te ajude a criares hábitos mais alinhados com aquilo que desejas para ti.  

Fontes de apoio: O Poder do Hábito de Charles Duhigg; Atomic Habits de James Clear e Os 6 hábitos de Alta Performance de Brendon Burchard