Atitude otimista ou pessimista?

Escrevi recentemente no meu Instagram sobre a necessidade urgente de boas energias para a nossa geração. Porque considero que o stress diário e a pressão de "demasiadas" tarefas levam-nos a ter uma abordagem à vida e aos problemas demasiado pessimista. 

Hoje gostaria de desenvolver um pouco mais esta ideia. Como já escrevi anteriormente, sou uma pessoa que defende o equilíbrio. As ideias pré-concebidas assustam-me porque as nossas vidas desenrolam-se de formas diferentes e não existe uma chave mestra para todas as pessoas.

Quando se fala de atitude tende-se a considerar que as pessoas mais felizes são necessariamente otimistas. Concordo que, ter uma visão mais positiva dá-nos esperança e expectativa num futuro risonho. Mas não podemos cair na armadilha de achar que as pessoas despreocupadas são livres de serem mais felizes. Porque se nos desligamos dos problemas e não aceitamos a realidade de uma situação desfavorável, nunca vamos conseguir ultrapassá-la. Por outro lado, se olharmos para tudo na nossa vida com negatividade, vamos acabar por concentrar-nos apenas no mau e procurar coisas negativas onde elas provavelmente não existem. 

A atitude realista dá sempre um equilíbrio mais interessante.

 

"É preciso uma abordagem equilibrada, para que esteja na melhor posição para se preparar para contratempos enquanto, ao mesmo tempo, se certifica de que está pronto para tirar o máximo proveito de quaisquer possibilidades promissoras que possam surgir"

 Matt Avery - 50 segredos das pessoas felizes

Atitude otimista ou pessimista?

Atitude otimista ou pessimista?

É esta a frase que mais me inspira neste contexto. Tento todos os dias ter uma perspetiva equilibrada. Porque não sou de virar costas a um desafio ou de tremer de cada vez que encontro um obstáculo. Lá diz o ditado, "quem não se sente não é filho de boa gente" e por isso luto. Mas também quero ter uma esperança positiva no futuro.

Acordar de manhã e pensar que a minha vida é uma porcaria porque tenho de ir trabalhar, o meu chefe me chamou a atenção porque simplesmente me odeia e sou uma injustiçada. Estes pensamentos não são para mim. Não quero ser queixinhas. Quero ser construtiva comigo própria. Aceitar que posso falhar, mas que os insucessos são formas de aprendizagem. São parte do desenvolvimento pessoal.

  • Quero ser resiliente, a capacidade de regressar ao estado mental base após uma adversidade ou problema.

  • Quero ter esperança, de persistir em alcançar os meus objetivos e quando necessário, reorientar a forma de chegar lá. Infelizmente, aprendemos muito mais com as coisas negativas deste caminho tortuoso que é a vida. Mas podemos por favor, não deixar de acreditar nas coisas positivas? Elas existem e somos merecedoras delas.

  • O optimismo implica que não nos esqueçamos de fazer afirmações positivas sobre o presente e o futuro. Por isso, vamos criar o hábito de as fazer frequentemente.

 Adaptado de David Allen - GTD

Ter uma atitude equilibrada, realista, mas determinada de que tudo vai correr bem é o segredo. Tentar praticar todos os dias isto, nem sempre é fácil. Porque nos momentos em que nos desesperamos, tudo é mais complicado. A estratégia que encontro quando estou mais ansiosa é a meditação. E um dia vou escrever mais sobre a minha experiência com a meditação. Mas ajuda MUITO. Ou então escrever num papel tudo o que me vai na alma. Parece que parte do peso que sinto acaba no papel. E isso deixa-me mais positiva em relação ao futuro.

Concluindo, não penses que só os hippies são felizes. Eles são provavelmente, mas tu também podes ser. PEACE and LOVE, todos podemos cultivar. 

 

 

 

Ana DiasComentário